O design e a sua valorização no Brasil.

    Por

    26 | Sep | 12

    Planejar uma identidade, um “RG” empresarial, nesse mundo complexo e cada vez mais cheio de marcas similares, falsificadas ou não, é sempre um grande desafio para quem trabalha na área de marketing e propriamente na categoria de design.

    O trabalho do criador é sempre mais complexo. Engana-se quem acha que o profissional de design vive em alucinação psíquica para poder criar algo fora do comum. Sem conhecimento, uma boa bagagem de trabalhos e talento para o desenho, não se consegue criar marcas realmente diferenciadas. Desenhar, considerando todas as nuances e conhecimentos que o profissional deve ter, é para poucos. É raro encontrar alguém com talento. Não para a atividade em si, mas para entender de tudo que o cerca antes de iniciar o rabisco.

    O bom designer é aquele que consegue captar os detalhes de uma identidade (da empresa, do cliente, do mercado ou dos concorrentes) e traduz esse conhecimento em uma proposta com diferenciais. Estes devem valorizar a organização e ser, desde o nascedouro, diferente dos demais. Porém, fugir do comum também é algo difícil no período em que vivemos, onde a velocidade é mais importante que o objetivo de realizar um excelente trabalho.

    Na arte, quase tudo é possível. Primeiro porque criar uma marca significa, justamente, sair do parâmetro, do senso comum, buscar o que não é óbvio. Segundo, deve-se apresentá-la e defendê-la daqueles que entendem de mercado, concorrência e preços, mas não de branding e design. Como o desenvolvimento humano é baseado na fala e escrita, não é de se admirar que cada um de nós possua a crença de entendimento sobre o assunto. Mesmo que não tenhamos.

     

    Trabalhar com design é intrigante e duvidoso, pois os “gostos” de cada um nem sempre são a opinião da maioria. Sempre quando surgem dúvidas acerca da decisão sobre a escolha da marca aqui na Being, gosto de explorar a opinião do consumidor, do usuário que lida com a marca diariamente. As melhores respostas vêm sempre de fora, nunca de dentro.

    É assim que o trabalho intelectual no Brasil vem sendo cada dia mais valorizado. Com certeza, ainda teremos uma grande etapa a vencer, pois o “esforço braçal”, numa cultura desabastecida de conhecimento e informação, acaba prevalecendo, mas estamos evoluindo e percebendo que o grande diferencial continua vindo do talento das pessoas. Elas são únicas.

    Continue acompanhando o blog da Being Marketing. Próxima semana, falaremos sobre as novidades em termos de design e branding que estamos preparando para os nossos clientes.

    * * * * * 1 votos.


Comentário










* Campos obrigatórios

<< voltar à página inicial

  • 85 3402.3898


  • Rua Vicente Leite, 725 60170150 Meireles Fortaleza

© 2011    Being    todos os direitos reservados