Compras e insatisfações coletivas

    Por

    21 | Jan | 11

    Você está todo feliz com seu cupom. Acabou de finalizar uma compra em um dos vários sites em que possui cadastro. É uma oportunidade única, afinal, 800 outros felizardos também fizeram a mesma aquisição. Até aí tudo bem. Chega o fim de semana, estamos em janeiro, período de férias, você decide ir ao local da oferta consumi-la e, para sua surpresa, visualmente parece que as 800 pessoas tiveram a mesma idéia que você.


    O que era para ser uma experiência agradável acaba tornando-se uma visão tridimensional da insatisfação. O empresário ao mesmo tempo em que vê a casa cheia fica feliz pela exposição da marca, pelos novos clientes, mas não tem estrutura e preparo para lidar com a demanda gerada pela oferta da compra coletiva. Os funcionários atendem cansados, dependendo do local acrescentam-se mesas onde não existia, a entrega do produto ou serviço demora, há fila de espera, o cliente não tem como se prevenir de chegar ao local, pois o único telefone de contato está quase sempre ocupado e por aí vai…
    A impressão que fica depois de um episódio desses é um alívio por não ter pago o valor real do serviço para ter um atendimento ou produto de baixa qualidade. E a vontade de voltar, cadê? Se um dos objetivos do estabelecimento era conquistar novos clientes, o empresário pecou em algo. Mesmo sabendo que a causa dos possíveis problemas ocorridos na noite seja devido à demanda da compra coletiva, você sai falando mal (fala sim!) e repensando em qual situação voltará lá ou se vai voltar. Sem contar a má impressão dos clientes que já conhecem a qualidade do local, mas que não fizeram a compra por este formato e que retornam ao estabelecimento coincidentemente na mesma época e se deparam com a situação. Aí, complica.

    Como consumidora não tenho nada contra esse formato de aquisição de produtos, serviços e exposição de marca (pelo contrário!), mas analisando o lado comercial é recomendado que a empresa pondere muito antes de se expor desta forma. Acredito e defendo o composto de promoção do marketing dentro de um planejamento. A inserção da empresa em uma promoção de compra coletiva deve fazer parte de um plano maior, estratégico e deve considerar vários itens como estrutura, horário de atendimento, pessoal, atendimento online e presencial, estacionamento, estoque e sazonalidade.
    As empresas que investem nesse tipo promoção podem estar buscando visibilidade da marca, aumentar o giro de clientes no restaurante, salão de beleza ou ainda tornar a marca conhecida.

    Seja qual for a intenção do empresário o objetivo deve ser avaliado levando em
    consideração e prevendo a adequação de todos os pontos acima. Se a empresa já
    tem um determinado posicionamento, é bem conceituada, tem uma boa carteira
    de clientes e deseja ampliá-la, deve se preparar para receber esta nova
    demanda e cuidar para manter a satisfação dos clientes atuais. Estamos de olho!

    Segue a dica de um post que trata especificamente sobre os sites de compras coletivas, : http://www.blogdoecommerce.com.br/sites-de-compras-coletivas/

    Fonte da imagem 1: Flickr Christian Beirle González

    * * * * ½ 2 votos.


Comentários (4)

  • [...] This post was mentioned on Twitter by Jorge Lima, Joao Marcelo R Viana, Rebeca Freitas, BEING, carolpaival and others. carolpaival said: Compras e insatisfações coletivas – Being Blog http://t.co/aYvg3Wd via @beingmkt [...]

  • clarisse says:

    Excelente post! Pertinente e na hora certa! Sabe, eu nunca cheguei a comprar em sites de compras coletivas, justamente pensando nessa possibilidade que vc falou aí. Muito arriscado. Este lance tá bombando muito, cada dia pipoca um novo site de compras… Sinceramente acho que o pessoal tá dando os passos maiores do que as pernas. Prefiro não arriscar. Abraço!

  • Rebeca Freitas says:

    Obrigada pelo comentário, Cla! Fiz algumas compras nesses sites e nem todas tiveram esse cenário caótico, ainda bem! Há alguns casos em que na descrição da oferta os estabelecimentos põe uma série de restrições que visam uma maior organização para não acontecer uma demanda maior que a oferta do dia. Aí, sim, vale a pena seguir todo os #mimimi que eles exigim (hora marcada, 1 cupom por pessoa, não comulativo, etc). Dica para aprofundar mais a coisa das compras coletivas é a leitura da matéria muito boa que saiu na Info desse mês (capa azul) falando sobre a operação de e-commerce, perfil das pessoas que compram e outros detalhes. Beijos!

  • elcio says:

    concerteza existem esses tipos de aborrecimentos, porém , isso depende muito DO SITE em que vc efetua a compra, hoje com mais de 1000 sites de compra coletiva por todo país, porém nem todos trabalham da mesma forma, nós da Valejunto antes de qualquer coisa, temos como prioridade a qualidade do produto antes memso do próprio valor do desconto, seja uma pousada ou um restaurante. já outros sites não se importam muito com a qualidade e sim com o tamanho do desconto para que a compra seja bem atrativa.

    em nosso site de busca disponibilizamos ofertas de todos os sites de coompra coletiva nele você tem a liberdade de escolher e pesquisar, antes de efetuar sua compra

  • Comentário










    * Campos obrigatórios

    << voltar à página inicial

    • 85 3402.3898


    • Rua Vicente Leite, 725 60170150 Meireles Fortaleza

    © 2011    Being    todos os direitos reservados