Bobagens, meu filho, bobagens

    Por

    30 | Aug | 10

    No encontro realizado em Fortaleza agora no dia 27, a Abap (Associação Brasileira das Agências de Publicidade) divulgou uma carta onde destaca que a proteção das crianças é dever de todos, não podendo ser transformada em bandeira para determinados segmentos ou entidades.

    O documento, chamado de “A Carta de Fortaleza”, diz que a proteção da criança deve ser debatida de forma global e permanente, e que é uma responsabilidade familiar e das instituições de ensino. Por último, destaca que a publicidade não pode ser contextualizada como vilã. (Aqui você poderá ler o documento na íntegra.)

    O tema pode trazer várias interpretações. Nem todas seriam favoráveis à posição assumida pela entidade representativa das Agências de Publicidade. Há muitos interesses em jogo. Nem de longe o assunto está encerrado.

    No site do manifesto pelo fim da publicidade e da comunicação mercadológica dirigida ao público infantil, você pode assistir a um vídeo que chama para pensar sobre o assunto. E poderá, se quiser, apoiar o manifesto, juntando sua assinatura às mais de 10.790 existentes.

    São dois momentos a serem analisados.

    Um deles é quando o comercial tenta “empurrar” produtos para as crianças, em horários de público infantil, criando necessidades onde antes elas não existiam, o que pode ser perigoso na formação desses pequenos que ainda não têm condições de decidir por um consumo consciente.

    Outro é quando o comercial é veiculado para toda a família, para produtos voltados ao consumidor adulto, e usa crianças em situações embaraçosas, adultizadas, inapropriadas, forçando situações, usando os pimpolhos como ferramentas de convencimento.

    Escolhemos um filme de uma campanha de Natal da Claro, que já gerou algumas controvérsias, para ilustrar este assunto. Assista, deixe a sua opinião. Será que a utilização de crianças neste comercial é pertinente? Será que há uma postura abusiva? Será que a entidade que rege o posicionamento corporativo da publicidade brasileira está correta em sua posição?

    Muita gente acha exagerada a postura do pessoal do Manifesto. Outros, acham que a Abap está lavando as mãos acerca de um assunto tão importante. Gostaríamos muito de evoluir nesta questão. O que dizer aos nossos filhos? Essas preocupações, essas indagações… seriam elas apenas bobagens?

    * * * * * 1 votos.


Comentários (4)

  • [...] This post was mentioned on Twitter by BEING, BEING. BEING said: Novo Post no Being Blog: Bobagens, meu filho, bobagens http://blog.being.com.br/?p=711 [...]

  • Infelizmente, é uma questão polêmica de difícil imparcialidade. Há muitos interesses envolvidos e verbas publicitárias inumeráveis. E o que menos importa é o que de fato move esta reflexão.

  • Clarisse Ilgenfritz says:

    Complicado, hein, Cris? E fica mais complicado ainda quando uma entidade como a Abap simplesmente lava as mãos… Por isso é importante levantarmos sempre estas questões.

  • Convido você, Clarisse, e demais leitores (especialmente aqueles que são “pais”), a acessarem o link abaixo e assirtirem ao vídeo que ele apresenta.

    http://www.publicidadeinfantilnao.org.br/obrigado/

  • Comentário










    * Campos obrigatórios

    << voltar à página inicial

    • 85 3402.3898


    • Rua Vicente Leite, 725 60170150 Meireles Fortaleza

    © 2011    Being    todos os direitos reservados