Destaques do quarto dia de Campus Party: Empreendedorismo e Política 2.0 #cpbr5

    Por

    09 | Feb | 12

    Quinta-feira, estamos nos aproximando do fim da Campus Party 2012. Hoje tivemos palestras sobre educação e acesso à informação, liberdade editorial em blogs e outras, mas a primeira palestra realmente bacana do dia foi sobre Empreendedorismo Feminino. Vamos dar uma olhada!

    O mundo feminino se reuniu em uma mesa redonda para discutir a entrada da mulher no universo empreendedor e qual o diferencial dela nesse ambiente. Martha Gabriel voltou à Campus para participar do debate e se juntou a Maria José Tonelli (psicóloga), Marina Miranda (diretora da Mutopo Brasil), Jaqueline Aparecida de Almeida (gerente de Atendimento Individual do Sebrae Nacional) e Andiara Petterle (CEO do Grupo Bolsa de Mulher), sob a mediação de Lígia Dutra (fundadora da UpaLupa).

    Apesar da boa discussão sobre as vantagens que as mulheres levam no mundo empreendedor, notamos o caráter ainda bastante masculino desse cenário. Até mesmo por parte das perguntas da plateia e, em algumas vezes, por parte da mediadora, que trouxe questões como "Ser empreendedora atrapalha sua vida pessoal?". As participantes da mesa, porém, mostraram maturidade ao colocar em questão que, se fossem homens, aquilo não seria perguntado, e que ser mulher e empreendedora está acima disso. Qualquer pessoa, homem ou mulher, sabe que terá que sacrificar um pouco de sua vida pessoal para ser bem sucedido.

    O outro grande destaque do dia foi a palestra "Política 2.0 – Marchas, hacktivismo, projetos de lei". Após uma pequena introdução sobre as últimas manifestações ciberativistas presenciadas (Egito, Londres, São Paulo e outros lugares), o debate prosseguiu bem aquecido. Rafael Lamardo (coordenador do Movimento Voto Aberto), João Carlos Caribé (Diretor de Projetos Especiais da Veredas e responsável pelo Movimento Mega Não), Cristiano Ferri (servidor da Câmara dos Deputados, criador do projeto e-Democrata) e o excelente Pedro Markun (membro da Transparência Hacker) falaram sobre as diferenças entre a Política 1.0 e a 2.0.

    Muitas barreiras foram eliminadas com as novas possibilidades de se fazer política. Problemas de tempo, custo, distância e escala já não são obstáculos para impedir a participação das pessoas em movimentos políticos. O blecaute de 18 de janeiro, por exemplo, poderia ter sido feito presencialmente? Essa discussão, entretanto, leva a outra: a validação do ativismo de sofá.

    Todos os participantes defenderam que os ativistas de sofá são relevantes, sim. Mesmo as pessoas que só curtem, retuítam ou compartilham coisas pelas redes são importantes. Essas ações são o mínimo de consciência política que as pessoas podem ter. E isso é ótimo, pois um simples compartilhamento pode evoluir, e essa pessoa pode procurar mais informações, estudar e se tornar um ativista de fato. Compartilhar uma mensagem pode parecer algo isolado e insignificante, mas o resultado que importa é o coletivo: o compartilhamento do compartilhamento.

    campus-party-politica-2-0-ativismo-hacker-being-marketing-02 Também foi levantada a questão sobre o humor do ativismo brasileiro. A aparência jocosa da manifestação é válida quando o conteúdo é responsável e significativo. E não devemos deixar que haja um processo de deslegitimação desse tipo de ativismo, pois são movimentos políticos sim, de uma forma ou de outra. Ou você acha que o Churrasco da Gente Diferenciada não teve nenhuma mensagem por trás da irreverência do evento?

    No final da palestra, falou-se um pouco sobre mídias sociais e campanhas políticas. Para todos, o cenário não é muito animador. Em ano de eleições, como o atual, qualquer atividade online pode se tornar combustível para a campanha de um ou outro candidato. Antes de entrar no digital, é preciso perguntar-se sobre a real necessidade de estar online. Uma verba que é gasta com mídias sociais pode ser aplicada em outros tipos de mídia que podem ser mais eficazes. As mídias sociais podem até ajudar, mas não a todos. Será que não é melhor usá-las para manter um relacionamento com seus eleitores pós-eleições? Planejamento, como em tudo na vida, é preciso nesse momento.

    Para quem se interessa por política, foi uma palestra excelente. Aqui vão alguns sites de projetos bacanas pra você acompanhar a vida política do nosso país: Extrato Parlamentar, Adote um Vereador, Transparência Hacker e Acompanhe seu Deputado. Agora não tem mais desculpa pra dizer que não conhece seu candidato!

    Amanhã tem mais palestra na Campus Party 2012! A Being vai trazer o resumão com o melhor do dia na nossa cobertura diária. Até lá!

    * * * * * 2 votos.


Comentário










* Campos obrigatórios

<< voltar à página inicial

  • 85 3402.3898


  • Rua Vicente Leite, 725 60170150 Meireles Fortaleza

© 2011    Being    todos os direitos reservados